A Tratore por aí:

O Infinito de Pé


“O Infinito de Pé” inaugura a carreira solo de André Abujamra. Solo porém bem acompanhado, pois alguns dos principais músicos da cena paulistana estão presentes no CD. Ele que sempre teve uma visão e uma abordagem bastante ampla da música, quer agora expandir ainda mais seus horizontes, e levar sua diversidade musical a um público maior, através de canções simples e sinceras. A simplicidade de suas canções, porém, está envolvida em arranjos extremamente sofisticados. Trata-se de um disco cheio de grandes músicas e ótimas idéias. Impossível captar toda a riqueza do disco com uma simples audiçã



Faixas (15)

1.
Olho Azul

Editora: Spin Music


2.
Infinito de Pé

Editora: Spin Music


3.
Nóis Eh Sampli

Editora: 4P(Trama)/Spin Music


4.
O Dah Ho

Editora: Spin Music


5.
Essa Música Não Existe

Editora: Spin Music


6.
Natureza

Editora: Spin Music


7.
Tempo

Editora: Spin Music


8.
Atoto

Editora: Spin Music


9.
Namburuque

Editora: Spin Music


10.
Palmeira do Deserto

Editora: Spin Music


11.
70%

Editora: Spin Music


12.
Elevador

Editora: Spin Music


13.
Blue Rose / Senha do Motim

Editora: Alternetmusic / YB (DUBAS)/Spin Music


14.
Magina de Pipo

Editora: Spin Music


15.
Curriculum

Editora: Spin Music



Produtos relacionados
(0/0)


   

Resenhas
Positivas (18)
lado b eh o escambau

O novo filho de André Abujamra é a cara do pai. Redondinho, gostoso, suave, poético e emocionante. Feito em casa, sob a luz da amizade e do amor. É pop total, com o requinte que merece ter, feito para o mundo todo. Tem canção de amor, parceria belíssima de pai e filho, rap de primeira e poesia no telefone. Mas pra mim, o que define esse trabalho e todos os outros do André é uma pequena info dentro do Curriculum... desde criança, ele faz a SUA música. Tem o seu DNA. Sem sombra alguma de dúvida. É um retrato vivo desse artista, dessa pessoa. Só sei que viciei.. Esse disco não existe. É uma pessoa que eu tenho o prazer de conhecer, mesmo convivendo tão pouco.

por Jean Boechat em 08/09/2004
Papai me empresta o carro?

esse cara é uma ótima pessoa. esse cara é um grande músico. esse cara tem me consumido. esse cara tem um olho azul. esse cara tem uma musicalidade infinita. esse cara não tem medo de ser feliz. esse cara tem coragem. esse cara assume suas fraquezas. esse cara tem muitos amigos. esse cara é filho do antonio, mas nunca usou isso para promover sua carreira. esse cara é engraçado. esse cara é gordo. sua alma é leve e seu coração cheio de amor. seu disco o infinito está de pé, deixa a gente confuso e alegre. a gente quer ele do lado todo o tempo, para que ele nos dê idéias de como produzir uma boa peça musical. comprem. copiem. emprestem. roubem. andré abujamra, me empresta o carro:?

por carlos careqa em 01/10/2004

òtimo cd....como os últimos lançados quando André ainda era o "proprietário" do Karnak. Assisti ao Show de lançamento e indico, vale a pena ouvir a parecria com xis.

por Luiz Augusto De Biasi em 07/10/2004
Onde as paralelas se encontram, mesmo?

Estou até sem jeito de resenhar este cd, depois que eu vi o recado do Careqa aí em baixo(grande artista), mas em todo caso vamos lá. Depois do Mulheres Negras, Karnak e Fat Marley nosso querido Abu resolve encarar o solo. Graças a Deus! O disco é ótimo, da primeira à última faixa. Quem já conhece adora e quem não conhece vira fã, de cara. Destaque para Elevador e 70% (duas letras inspiradíssimas) e para o Curriculum "despejado" no final, com sinceridade e emoção. Aliás, já ouvi o André confessar que a maioria das pessoas acha que ele nunca fala sério. Eu acho!

por João Batista Rodrigues em 17/10/2004
Enfim, a só!

Poisé, o André Abujamra é responsável pelo fim de duas das melhores bandas inventadas nesse mundo: Os Mulheres Negras e o Karnak. Apesar de ter vários ingredientes dessas bandas, nesse disco solo o André consegue mostrar um trabalho que pode-se chamar "solo mesmo", pois ele está bem virado pro lado pessoal e espiritual em suas letras. Ao contrário de cantores que caem na carreira solo, mas o que fazem é exatamente o que faziam na banda... O disco tá bem light, diria "bem família". Suas músicas sempre tem mensagens bacana, como em "70%". "Curriculum" é muito boa também. Um disco pra ouvir em casa. Com a família.

por Márcio Sno em 20/10/2004
legal

No karnak a ideia era fazer inovar, sem se importar com o ibope. O André, sem karnak (entre aspas, porque continuam juntos como antes) tem a mesma ideologia musical de inovação, sem palavras e muito bom mesmo. Vale a pena, alternativo ate o osso.

por reinaldo rodrigo novo em 24/10/2004
André Abujamra - O infinito de pé

O André parece um cara meio louco, mas não. Louco é o cara que perdeu tudo, menos a razão. No caso do André a razão ainda não foi encontrada, mas as buscas estão praticamente terminando. Minhas favoritas são Magina de Pipo, O Dah Ho, Natureza, Currículum. Tem bastante candomblé nesse CD, mais as já tradicionais destruições étnicas via internet, samplers, com que o André vem construindo sua linguagem. Só mais uma coisa: eu sô normal, porra.

por Luciano Pessoa em 25/10/2004

O André é um pássaro? É um avião? É um mago obscuro? Um Arrigo-Pascoal? Talvez melhor. Este disco solo é a prova de que uma grande música sai de um grande corpo com a mesma naturalidade e inteligência com que um cachorro cava para enterrar o osso. Reverências mil ao ex-Mulheres Negras!

por Rodrigo Lemos em 28/10/2004
genial!!!

O André é a versão brasileira e atualizada do David Byrne. Desde seus tempos de Os Mulheres Negras (a menor big band do mundo) suas genialidade já está presente nas composições e interpretações. No Karnak não foi diferente: a pluralidade e a diversidade eram o prato cheio para esta verdadeira big band. O fim do Karnak me deixou triste no primeiro momento - estive no show final deles. Mas logo percebi que o André não iria se aposentar..... Uma amostra disso foi dada no CD de seu personagem Fat Marley. Este CD solo marca a continuidade das pesquisas sonoras que ele sempre fez e fará com extrema competência. O show solo também é maravilhoso, com direito a telão onde são projetados clipes relacionados com as músicas. Sempre rodeado de músicos competentes, é um prato cheio para quem procura novidades.

por André Panico em 29/10/2004
Enfim só

André Abujamra é um velho conhecido no meio artistico, a frente de grupos como OS MULHERES NEGRAS, KARNAK E VEXAME mostrou ser um mpusico completo. Neste primeiro trabalho solo Abujamra mostra não só o domímio da música, mas também das palavras. ´canções como "elevador", "infinito de pé" mostra sua genealidade como as palavras.

por Rogério Augusto de Oliveira em 29/10/2004
Andre Abujamra - O Infinito do Pé - Spin Music

Abu é um artista de vanguarda (Karnak) com pés no passado (Vexame e Os Mulheres Negras) e olhos para o futuro (Fat Marley) se (re)faz de composições bem arranjadas e letras criativas é muito talento pra tão poucos discos.

por Luciano Branco em 29/10/2004
O INFINITO ABUJAMRA

O TALENTO DE ABUJAMRA PODE SER MAIS UMA VEZ COMPROVADO COM ESTE ÓTIMO TRABALHO.INAUGURANDO PARCERIA COM O RAPPER XIS,O ARTISTA MOSTRA QUE SABE ONDE PISA E ACERTA!!A MUSICALIDADE DE SUA OBRA QUE POR VEZES PODE SOAR COMO UM SUSTO ACABA SE TRANSFORMANDO NUMA SURPRESA.UFA! AINDA TEM VIDA INTELIGENTE NA MÚSICA BRASILEIRA.

por RÉGIS LUIZ CÂMARA AMORA em 30/10/2004
Infinitamente André

"O que dizer do André...ele é único"

por Cris Aflalo em 19/11/2004
Único mesmo

Eu conheço e ouço muito todos os cd que o André lançou.Desde os Mulheres Negras acompanho o seu trabalho e realmente acho genial a sua postura artistica e musical.Não posso deixar de citar o saudoso Karnak é claro.Infinito é o André.

por Nélio em 19/11/2004
Genial

Trabalhar com o Andre eh uma experiência única... como co-produtor do disco naum posso aclamá-lo, mas dizer que o Andre eh genial, suas composições são poeticas, simples e lindas e suas qualidades musicais saum infinitas naum eh novidade...

por Sergio Soffiatti em 04/12/2004
OTIMO

Inventivo,perspicaz,um feeling daqueles...Esse é o abujamra.Dono de uma mente brilhante,o cara volta para alegria dos orfaod do Karnak e ávidos por cançoes que deem um upgrade em nossa vidas.Alias ,cancoes grandiosas,orquestradas,talvez uma influencia das inumeras trilhas de filmes que o cara compos.E esse bem que poderia ser a trilha do filme da vida de qualquer um.

por Lennon Marques dos Santos em 08/09/2005
"De olho no olho no furacão"

Eu sei, é clichê, mas "O infinito de pé" é uma verdadeira salada:estética, sonora, filosófica(?). Vai do mix poesia concreta/guitarras pesadas/batidas eletrônicas a uma baladinha levada só no violão, passsando por ecos de moda de viola, música árabe, africana, tudo puxando para melodias rebuscadas e pop ao mesmo tempo, com letras que vão da crítica política ao mais puro nonsense. Dá pra ouvir assistindo à retirada dos colonos israelenses da Faixa de Gaza, mas também naquela tarde preguiçosa de sol. Imperdível!!

por Alceu de Andrade Martins em 15/09/2005
Ma-ra-vi-lho-so!!

Somente André Abujamra consegue mesclar uma inocência de raciocínio de menino com tiradas filosóficas geniais! O CD é mais que perfeito, é novo, original, surpreendente. Agradeço por tanto! Necka Ayala.

por necka ayala em 02/07/2006
Negativas (0)

Escreva uma resenha






Você gostou do disco?



Resenha (opcional)




Ficha técnica
Artistas principais
Ano
2004
Lançamento
16/06/2004
Gênero
Pop-Rock
Código do catálogo
SPIN003
Código do produto
7898369061830
Selo
Independente (dist. Tratore)
Formato
CD Simples
Perfil do artista
André Abujamra
Origem
São Paulo, SP

Agenda